Frade

Diversão e ecoturismo

Na região do Lagos, você encontra a cidade de Macaé, que tem serra e mar e muita coisa legal pra você conhecer. Uma delas é o Frade, o 5º distrito macaense.

No Frade tem uma área de mata bem extensa com lindos rios. Os amantes de aventuras na natureza vão adorar esse lugar.

O Frade é um lugar pouco explorado da serra. Ele fica próximo ao Sana e Glicério, outros dois distritos de Macaé, e de Lumiar e São Pedro da Serra, distritos de Nova Friburgo.

 

Venha Conhecer o Frade

O distrito de Frade é conhecido na região por suas festas tradicionais. E com certeza é a melhor época do ano pra você conhecer o lugar.Frade Macaé

 

Carnaval no Frade

Quem procura um jeito diferente da curtir o carnaval deve experimentar o carnaval no Frade. A celebração dos bois pintados é uma tradição. O ponto alto da festa é o enterro do boi, na quarta de cinzas.

 

Festa Maína

São foram 26 edições que a cada ano estão atraindo mais e mais pessoas. A festa acontece no mês de junho e tem shows de música, cavalgada, comida típica e muito mais. Toda a cidade de Macaé se mobiliza para realizar um evento bem divertido. Ótimo programa para famílias.

 

Pontos Turísticos do Frade

Há mapas espalhados pelo distrito indicando os lugares importantes, pontos turísticos e locais de comércio. Não tem como se perder.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição

A antiga igreja do século XIX é um dos pontos mais importantes do distrito. Ela é simples, porém muito bonita. Sua escadaria é ladeada por grandes árvores que dão um charme a mais à paisagem.

Vovó Arteira

Não é bem um ponto turístico, mas é um lugar bem legal e vale a pena fazer uma parada por lá. Essa loja de artesanato tem uma grande variedade de produtos e você pode aproveitar para comprar as lembrancinhas da viagem aqui.

 

Ecoturismo no Frade

Há vários córregos e poços no Frade que você vai adorar conhecer. O Rio Macabu corta todo o distrito providenciando uma paisagem tão bonita que parece uma pintura. Visite o Poço da Panheira e o Poço da Volta Escura, a Barragem Velha, o Parque das Águas, o Arrancadouro e as cachoeiras da Caixa D’Água e da Providência.

Nestes lugares você tem ótimas opções de trilha e water trekking (quando a “trilha” segue por córregos ao invés de ir pelo meio da mata).

 

Como chegar ao Frade

O melhor caminho até o distrito do Frade é pela BR- 101. Siga até a cidade de Casimiro de Abreu e alguns quilômetros depois dela, entre na RJ- 162, sentido Cachoeira, subindo a serra. Usando esta rota, você passará por Glicério.

Se você quiser conhecer o Sana também, pode usar a Estrada Frade- Sana que se inicia na RJ- 142. A estadual começa na altura de Casimiro de Abreu e segue em direção a Lumiar.

 

Hospedagem no Frade

O distrito do Frade é basicamente residencial, por isso não há muitas opções de pousadas por lá. Há uma opção da Estrada Frade- Sana, o Sítio Pousada Chalet do Frade.

Glicério

Serra de Macaé

A cidade de Macaé é bem grande e tem destinos para todos os gostos. Quem gosta de praia e quem gosta de rio vai achar o seu lugar. O distrito de Glicério fica na região serrana da cidade, próximo dos distritos do Sana e de Frade.

 

Canoagem no Rio São Pedro

Glicério já foi chamado de “Crubixais”, uma palavra de origem tupi que significa “rio de pedras”. Isso já dá uma boa ideia de como é o Rio São Pedro na altura do distrito.

Há várias cachoeiras por lá e Glicério é bem procurado para a prática da canoagem. Existe até uma escultura de um canoísta no distrito que virou um ponto turístico. Em Glicério há um circuito de canoagem com 500 metros de extensão.glicério macaé

Outra atividade muito praticada por lá á a “boiagem”. O novo “esporte” consiste em descer o rio usando boias feitas de pneus de automóveis. Os moradores de Glicério “inventaram” essa moda e a boiagem acabou cativando os turistas também.

O lugar mais frequentado é o Poço da Siriaca. É uma pequena queda d’água que desagua em um poço de 30 metros de diâmetro com águas transparentes. Há uma área gramada próxima do poço que faz um lugar ótimo para o camping.

 

Pico do Frade

O distrito de Frade fica ao lado de Glicério, mas o pico (apesar do nome) não fica lá.

Ele é o ponto mais alto de Macaé, com 1,429 metros de altitude. Ele faz parte da Serra das Bicudas, que fica entre Macaé e Casimiro de Abreu. O Pico do Frade fica a 56 km do centro de Macaé, mas pode ser visto do litoral. Na verdade ele era usado como ponto de referência para os antigos navegadores.

A trilha para o alto do Pico do Frade começa na RJ- 162, a 10,7 km da famosa escultura do canoísta, entrada em uma estrada de terra. A melhor opção é usar os serviços de um guia, já que a chance de se perder lá é grande.

Há um lugar de mesmo nome em Angra dos Reis (que é bem legal por sinal), mas não confunda os dois.

 

A Arquitetura de Glicério

Faça uma visita à antiga Estação Ferroviária. Ela foi construída no final do século XIX para fazer o escoamento do café até o litoral. Há pouco tempo ela foi restaurada.

Próximas à estação, há outras construções históricas do início do século XX. O Cine Theatro Glória, a Casa Luso- Brasileira o Salão Sardinha, a casa do Sr. Salvador Pires e a Pharmácia Paes formam um importante conjunto arquitetônico para o distrito. Essas construções seguem o estilo neoclássico. Elas foram edificadas para abrigar os primeiros estabelecimentos comercias do local.

 

Como chegar ao distrito de Glicério

O melhor caminho até o distrito de Glicério, pra quem vem do Rio, é pela BR- 101.

Siga até a cidade de Casimiro de Abreu e alguns quilômetros depois dela, entre na RJ- 162, sentido Cachoeira, subindo a serra. O distrito de Frade fica um pouco depois de Glicério.

Cachoeira da Gruta

Circuito das grutas

Há muitas cachoeiras pela cidade do Rio de Janeiro, uma delas á a Cachoeira da Gruta. Se você está procurando por um programa diferente, já que as praias ficam lotadas no verão, esta é uma ótima opção.

 

Cachoeira da Gruta

Essa é uma das melhores cachoeiras da cidade.

Na Cachoeira da Gruta a água jorra através da fenda de uma pedra, o que dá a aparência de ser dentro de uma gruta. A queda d’água não é grande, mas é o suficiente para você aproveitar e se divertir bastante. Há várias pedras grandes ao redor, onde você pode sentar e relaxar.

A água vem geladinha das nascentes do Parque Nacional da Tijuca e é limpíssima.cachoeira da gruta rj

O melhor horário pra curtir a Cachoeira da Gruta é antes das 14h. Depois disso o sol não passa mais entre as árvores e o lugar fica meio frio e os mosquitos começam a atacar.

 

Como chegar à Cachoeira da Gruta

Ela fica no limite da área do Parque Nacional da Tijuca e, tecnicamente, não pertence ao parque. Esta área do parque é o Setor B, onde também ficam a Vista Chinesa, o Mirante do Imperador, o Parque Lage e o Morro do Corcovado.

A rua de acesso é a Pacheco Leão que passa ao lado do Jardim Botânico. Siga até o final da rua, quem vai de carro pode deixar o veículo perto do Instituto Nacional de Matemática Aplicada.

Se você estiver indo de ônibus, use as linhas 409 e 416 que saem do Saens Pena e desça no ponto final.

Também dá pra ir até lá usando as bicicletas da Bike Rio. Há uma estação na Rua Pacheco Leão, na altura do n 915.

Você pode ir até o Jardim Botânico usando o Metrô de Superfície. Vá até a estação de Botafogo e pegue o ônibus para fazer a integração. Você pode pagar em dinheiro ou com o cartão pré- pago do metrô. Desça na estação Jardim Botânico, que fica próximo à Rua Pacheco Leão.

Não é uma sinalização indicando onde começa a trilha, mas é fácil de ver o lugar. O percurso da trilha é bem tranquilo e indicado a todas as pessoas. Nos finais de semana, há vários moradores da região frequentando o lugar, se você se perder, é só pedir uma ajudinha.

 

Outras cachoeiras no Parque Nacional da Tijuca

Outros lugares legais pra você conhecer no Parque Nacional da Tijuca é a Cascatinha Taunay que fica logo na entrada do Setor A – Floresta da Tijuca, mas não é aberta para banhos, e a Cachoeira das Almas, que você acessa através de uma trilha leve, também no setor A.

Próxima à Cachoeira da Gruta, fica a Cachoeira dos Primatas.

 

Parque Nacional da Tijuca

É uma das maiores florestas urbanas do mundo. Lá tem várias trilhas que seguem por grutas e cachoeiras até o alto de picos. A vegetação do parque é Mata Atlântica. Parque do parque começou a ser reflorestada em 1860, sob um decreto de Dom Pedro II, após intensa degradação causada pela exploração da madeira e do cultivo do café.

Cachoeira do Camorim

Outro lado do Recreio

Quem quer se refrescar no verão, mas está fugindo das praias lotadas, eis aqui uma ótima sugestão: a Cachoeira do Camorim.

 

Cachoeira do Camorim

O bairro do Camorim fica na zona oeste da cidade, ao lado do Recreio dos Bandeirantes e de Jacarepaguá.

O Rio Camorim vem descendo desde o alto da Serra do Nogueira, forma o lindo Açude do Camorim e continua até formar a cachoeira já perto do sopé da montanha. Muitas pessoas fazem a trilha até o Açude do Camorim, mas lá não é permitido o banho. Assim, a cachoeira é uma ótimacachoeira do camorim alternativa pra quem quer estar em meio à natureza e também quer um banho de água bem gelada.

 

Diversão em meio à natureza

Parte do bairro pertence ao Parque Estadual da Pedra Branca, uma área de preservação ambiental com mais de 12 mil hectares que se estende por mais 16 bairros. A vegetação do parque é de Mata Atlântica. Toda a área próxima à cachoeira e ao açude era uma fazenda, foi reflorestada e hoje é mata fechada.

 

A trilha da Cachoeira do Camorim

Ela começa no final da Estrada de Camorim. Tem que fazer um registro de entrada antes no escritório do parque, por questões de segurança.

A trilha é a mesma que leva até o Açude do Camorim e tem pouco mais de 3 km de extensão. A cachoeira fica mais ou menos da metade do caminho e você pode fazer o percurso até ela em 1h, dependendo do seu ritmo. O nível de dificuldade é fácil/ leve. A trilha está bem marcada, já que é muito usada. O passeio é recomendado para crianças a partir de 6 anos de idade.

Durante a caminhada, lembre-se de fazer silêncio para ouvir o canto dos pássaros que habitam a região. Um ótimo show de música da natureza.

Não se esqueça de que você estará em área de preservação ambiental. Não deixe lixo no local, leve um saquinho para recolher tudo ao final. Não arranque plantas para levar pra casa como lembrança (imagina se todo mundo quiser fazer isso?).

 

Como chegar à Trilha no Camorim

A Estrada de Camorim começa na Estrada dos Bandeirantes, entre o Rio Centro e o Projac da Rede Globo. Estas são boas referências, caso você não conheça bem a região. Não há serviço de metro ou de trem nesta parte da cidade.

De ônibus:
Use as linhas 348 e 368, ambas Castelo x Rio Centro, que fazem parada no início da Estrada de Camorim. Use como referência a Escola Municipal Des. Ney Palmeiro. A estrada tem aproximadamente 3 km de extensão.

De carro:
Pra quem vem pela Linha Amarela: Pegue a saída que em direção ao Rio Centro. Acesse a Estrada dos Bandeirantes em direção à Curicica.
Pra quem vem pelo Recreio: Saindo da Avenida das Américas, pegue a Avenida Salvador Allende em direção ao Rio Centro. Antes de chegar ao Parque dos Atletas entre à esquerda para pegar a Estrada dos Bandeirantes e siga em direção à Curicica.

Petrópolis

Frio na serra

Petrópolis é uma cidade maravilhosa na região serrana a poucas horas de distância da capital. Ela é vizinha de Teresópolis e Magé.

Foi chamada pelos primeiros portugueses de Sertão dos Índios Coroados, por causa da tribo que viva por ali. A região começou a ser habitada por europeus quando o ouro que vinham de Minas Gerais assou a ser transportado pelo Caminho Novo.

Se você procura por uma viagem de um dia ou de um final de semana pra relaxar um pouco vai encontrar em Petrópolis o destino perfeito.

 

O que ver e fazer em Petrópolis

Museu Imperial

Este belo prédio neoclássico foi construído na segunda metade do século XIX a pedido de Dom Pedro II que usou de seu dote pessoal para financiar o projeto. Entre os arquitetos que participaram da construção, destaca-se Araújo Porte Alegre, grande artista brasileiro do período. Dom Pedro II orientou pessoalmente a elaboração do jardim onde acontece um lindo espetáculo de som e luz, de quinta a sábado, às 20h.

Palácio Quitandinha

Este belíssimo palácio foi construído em meados do século XX em estilo rococó, na parte interna, e normando-francês, na parte externa. O lago tomapetropolis toda a extensão de sua incrível fachada e tem o formato do mapa do Brasil. Hoje o antigo hotel funciona como um condomínio de apartamentos de luxo. Há também um belo restaurante.

Bauernfest

A Festa do Colono Alemão é uma das tradições da cidade e ocorre sempre no mês de julho. É a maior festa da cidade de Petrópolis, sendo celebrada por vários dias. Foram consumidos 35 mil litros de cerveja em 2012. Tem música típica, balões, a presença da culinária alemã.

A Encantada

Assim é conhecido o Museu Casa de Santos Dumont. Toda arquitetura da casas é bem peculiar com uma escada que só se pode subir com a perna direita e outra só com a perna esquerda. Você também pode conhecer uma das últimas invenções de Santos Dumont, o chuveiro de água quente.

Palácio de Cristal

Foi inaugurado no final do século XIX por encomenda do Conde d’Eu e da Princesa Isabel. Sua estrutura pré-montada foi trazida da França. Ele foi tombado como patrimônio histórico e artístico nacional.

Catedral de São Pedro de Alcântara

Esta bela igreja foi construída no final do século XIX em estilo neogótico. Levou mais de 40 anos para ser terminada. Lá está o mausoléu da família imperial. Nos vitrais coloridos, você pode ler os poemas que Dom Pedro II escreveu enquanto esteve no exílio, após a proclamação da república, expressando a saudade que sentia do Brasil.

Rua Teresa

O melhor lugar para fazer compras na cidade. Ali você encontra as últimas tendências da moda e também a melhor produção artesanal de geleias, vinhos e licores. São 2 km de vitrines atraentes. Faça a pausa para o lanche na centenária Confeitaria Willensen, lá tem deliciosas receitas alemãs.

Cervejaria Imperial

Ela pertence à família Orleans e Bragança, herdeiros da família imperial. Lá você pode fazer um tour guiado e conhecer todo o processo de fabricação do chopp e da cerveja de acordo com as leis da pureza alemã. A visita precisa ser agendada com antecedência por telefone ou e-mail.

Itaipava

Outro lugar que você precisa conhecer em Petrópolis é Itaipava. Mas você vai ter que outra viagem pra isso porque tem muita coisa legal por lá.

Teresópolis

Conhecendo

Teresópolis é uma das cidades da Região Serrana, vizinha de Petrópolis, de Cachoeiras de Macacu e de Nova Friburgo.

O nome foi dado à cidade em homenagem à Imperatriz Dona Teresa Cristina, a esposa de Dom Pedro II. Antes disso se chama Freguesia de Santo Antônio do Paquequer.

 

O Frio de Teresópolis

Pra os amantes do frio, Teresópolis é um destino perfeito. Ela é a cidade mais elevada do estado e, por isso, a mais fria. O clima da cidade é agradável o ano novo, com verão que não passam dos 35º C. A menor temperatura já registrada na cidade foi de 1,2º C em junho de 1973.

Visitar a cidade durante o inverno e tomar um vizinho próximo à lareira é maravilhoso. Teresópolis é muito procurada por casais em busca de uma viagem romântica. Há várias pousadas aconchegantes para uma segunda lua de mel.

 

Parque Nacional da Serra dos Órgãos

A área de mais de 20 mil hectares é uma unidade de conservação que fica no maciço da Serra dos Órgãos.

De maio até setembro funciona a temporada de montanhismo e, de todo lugar do Brasil, os aventureiros vem para aproveitar este lugar tão bonito que você até pensa que não é real.

Ali fica o Dedo de Deus, cartão postal da cidade de Teresópolis. Ele tem 1,692 metros de altitude e se parece uma mão apontando para o céu.teresopolis rj

Do Mirante do Soberbo você consegue ver o Dedo de Deus, a Baía da Guanabara e a cidade de Niterói. Não precisa dizer o quão incrível é essa vista.

No parque você também encontra trilhas, mirantes naturais, cascatas, orquídeas, bromélias e áreas de pique nique.

 

Feirinha de Teresópolis

Ela fica na Praça Higino da Silveira, no bairro do Alto.

A feira começou em 1983 e reúne artesãos e artistas populares da cidade. Vale muito a pena passar um dia lá e se divertir com a família e os amigos. Tem cerâmica, couro, plantas, conservas, biscoitos caseiros e muito mais.

A feira tem uma Praça de Alimentação que oferece aos visitantes diferentes tipos de gastronomia, incluindo finger food, japonesa, churrasco e a culinária baiana.

 

MAPA e Como chegar

 

Colina Dos Mirantes

Aqui você tem uma vista panorâmica de toda a cidade de Teresópolis e do maciço da Serra dos Órgãos. É um lugar lindo que você não pode deixar de conhecer. Fica na Praça Reginaldo M. de Castro, no bairro Fazendinha.

 

Cultura e história de Teresópolis

Há vários edifícios antigos pela cidade que você precisa conhecer.

A Matriz de Santo Antônio de Paquequer fica no bairro do Alto e é umas das construções mais antigas da cidade. Visite também a belíssima Matriz de Santa Teresa D’Avila, santa padroeira da cidade.

O Palacete Granado, com sua linda arquitetura em estilo francês, funciona como sede do SESC e oferece várias exposições de arte. Outro local de cultura que você precisa visitar é o Sobrado José Francisco Lippi, antiga sede de uma fazenda do século XIX. Lá você encontra peças de artesanato e plantas ornamentais a venda.

Se você quiser fazer um passeio diferente, visita o Capril Genève. Um singelo edifício inspirado na arquitetura suíça onde você pode aprender sobre as etapas da produção de queijo com uma visita guiada.

Cachoeiras do Mendanha

Conhecendo

O Parque Municipal da Serra do Mendanha fica na zona oeste do Rio de Janeiro, entre os bairros de Campo Grande e Bangu e a cidade de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Lá você encontra trilhas, cachoeiras e área de lazer.

O parque é uma unidade de conservação do bioma de Mata Atlântica. O lugar é um dos maiores redutos de vegetação original da cidade, isto quer dizer que aquelas árvores já estavam lá quando os portugueses chegaram aqui. O Parque do Mendanha faz parte da área de proteção ambiental do Gericinó- Mendanha, que é considerada como reserva da biosfera pela UNESCO.

Quem passa pela Avenida Brasil, entre Realengo e Paciência, sentido Itaguaí, pode ver as montanhas do lado direito da estrada.

 

As cachoeiras da Serra do Mendanha

São duas cachoeiras ao longo do Rio Guandu Sapê. As duas formam piscinas naturais maravilhosas e paradisíacas. Tome cuidado ao cachoeiras do mendanhamergulhar. As piscinas são bem fundas em alguns lugares e nem sempre dá pé. Dá até pra esquecer que você está em uma cidade grande.

A dica é chegar bem cedo e sair no meio da tarde. Tem muito mosquito por lá e eles não perdoam. Leve repelente.

Não esqueça de levar um saquinho para recolher todo o seu lixo no final do dia.

 

A trilha para as cachoeiras

A trilha não é muito sinalizada, mas já está bem marcada, então é fácil seguir por ela. O nível de dificuldade é moderado. O início é bem cansativo, pois é bem íngreme e leva de 40 minutos às 1h. Em alguns momentos você precisará superar obstáculos naturais. É mais indicado ir com alguém que já conhece o percurso.

Durante a semana, o lugar fica bem deserto, então vá com um grupo. Já nos finais de semanas de sol, fica bem cheio.

 

Como chegar à trilha das cachoeiras

O melhor jeito de chegar até lá é de carro.

Vá pela Avenida Brasil até Campo Grande. Pegue a Estrada do Mendanha entrando à direita e siga até o final. Você irá subir um morrinho e logo na descida vai pegar a Estrada Abílio Bastos, use uma igreja batista como referência. Continue pela Estrada Abílio Bastos quando passar por uma escola, vire à esquerda.

Se você se perder, é só parar e perguntar. Alguns moradores legais abrem seus quintais como estacionamento. Tem vários sítios por lá.

Se você for de ônibus, pode usar as linhas 850- Mendanha x Campo Grande e 895- Serrinha x Campo Grande. Você pode pegar eles ao lado da estação de trem de Campo Grande. Nessa estação passa o ramal Santa Cruz. Se você for até Campo Grande de ônibus, desça na Rodoviária e siga pela Rua Ferreira Borges, no sentido dos carros, até a estação de trem.

 

As belezas naturais da zona oeste

Na zona oeste da cidade você também encontra o Açude de Camorim, as praias selvagens de Grumari, a Ilha do Pontal no Recreio dos Bandeirantes, as trilhas da Barra de Guaratiba e o Parque Estadual da Pedra Branca.

Morro do Anhanguera

Trilhas e cachoeiras

A Floresta da Tijuca é perfeita para os amantes da natureza que não podem fazer longas viagens para curtir uma aventura. A Floresta da Tijuca fica bem no coração dessa selva de pedra e lá você encontra diversas atividades para os experientes e os iniciantes.

 

Morro da Anhanguera

Também é conhecido como Morro do Excelsior. Ele tem 693 metros de altitude. Seu topo é coberto de eucaliptos, o que o torna diferente das outras elevações que são cobertas pela Mata Atlântica e dá um clima misterioso ao lugar.

Como as árvores ali são bem altas, não dá pra ter uma vista aberta para a cidade.  Lá de cima você tem uma linda vista para o parque com a Pedra do Conde, o Pico da Tijuca e o Tijuca-Mirim.

morro do anhanguera

 

Trilha do Morro da Anhanguera

Se você nunca fez trilha na sua vida, pode começar por aqui. A trilha é leve como um passeio no bosque (sem a parte do lobo mau). O percurso, ide e volta, tem 4,5 km e você pode percorrê-lo em 2h, dependendo do seu ritmo.

Para chegar ao início da trilha você usará como referência as churrasqueiras do parque. Na placa estará escrito “Pedra do Conde”. Tudo lá é bem sinalizado, não se preocupe. Se preferir, ainda pode pegar um mapa no Centro de Visitantes. Não tem perigo de se perder.

O Morro do Anhanguera fica próximo do Mirante do Excelsior.

Leve bastante água e um lanche. Não se esqueça de recolher todo o seu lixo. Não leve nada de lá além das fotos legais, não deixe nada lá além de muito amor.

 

Trilhas na Floresta da Tijuca

Você pode conhecer também o Circuito das Grutas, o Morro do Archer, a trilha da Cachoeira das Almas e as Ruínas do Humaitá. Se você estiver pronto para enfrentar um desafio a mais, pode fazer a trilha do Pico da Tijuca ou do Pico do Papagaio que começam no final da Estrada dos Picos.

 

Como chegar à Floresta da Tijuca

A entrada do Setor Floresta da Tijuca fica na Praça Afonso Vizeu, no Alto da Boa Vista.

De ônibus: As linhas indicadas são:
301 – Rodoviária x Barra da Tijuca
302- Rodoviária x Recreio dos Bandeirantes
345 – Praça Mauá x Barra da Tijuca
448- Maracaí x São Conrado

De metro: Vá a estação Uruguai usando a linha 2. Lá você pode pegar um dos ônibus que passam na Praça Afonso Viseu.

De bicicleta: Pra quem tiver muita disposição tem as bicicletas da Bike Rio, o que transforma o seu passeio em uma grande aventura.
Na tijuca, você pode pegar uma na estação de metro Uruguai ou na Praça Xavier de Brito. São aproximadamente 8 km até a entrada do parque.
Quem for sair da Barra da Tijuca pode usar a estação da Praça Prof. José Bernardino, que fica na altura da Praia do Pepê. Por aqui fica em torno de 9 km até a entrada do parque.

De carro:
Pra quem vem da Barra da Tijuca: Suba em direção ao Parque pela Estrada Furnas, que começa na Estrada da Barra da Tijuca na altura da Praça do Aleijadinho. Depois do Corpo de Bombeiros a estrada muda de nome para Rua Boa Vista.
Pra quem vem da Tijuca: Suba para o Parque pela Av. Édison Passos, que começa no final da Rua Conde de Bonfim.

Lumiar

Interior delicioso

Na cidade de Nova Friburgo, região serrana, fica o distrito de Lumiar. São apenas 3h de viagem, cobrindo os 150 km de distância da capital do estado pela RJ- 122.

 

Conheça Lumiar

Lumiar é um lugar singelo, bem pacato e com um clima bucólico. Lá os verões são agradáveis e os invernos são intensos. Lumiar fica em área de Mata Atlântica, fazendo parte da Reserva Florestal de Macaé de Cima, onde fica a nascente do Rio Macaé.

As matas com suas cachoeiras, a tranquilidade da vila, as tradições da colonização suíça e o clima agradável o ano inteiro tem atraído muitas pessoaslumiar ao distrito de Lumiar. Essas características, você também encontra em São Pedro da Serra.

 

Turismo ecológico em Lumiar

Faça caminhadas pelos vales e pelas montanhas em passeios ecológicos, que podem ser feito de jipe. Desfrute de deliciosos banhos de rio ou do rafting no Rio Macaé.

Lumiar é dotada de beleza natural impressionante, com seu ambiente florestal intocado.

O distrito possui inúmeras belezas naturais. Se aventure pelas corredeiras do Rio Macaé, conheça o Encontro dos Rios, visite a Pedra Riscada e aproveite as extensas regiões de Mata Atlântica preservada.

Você pode percorrer as mais de 30 trilhas de jipe, moto, bicicleta ou a pé. Em Lumiar você tem o lugar perfeito para a prática de esportes como a canoagem, o mountain biking, o trekking e a escalada.

Um dos lugares mais visitados é a Cachoeira Indiana Jones. Para chegar até ela, você precisará andar por um córrego com água na altura dos joelhos e depois atravessar um estreito corredor formado por dois paredões de pedra.

O Encontro dos Rios é um lindo lugar onde o Rio Macaé se junta com o Rio Bonito. No Rio Bonito você pode aproveitar o espelho d’água para nadar. Enquanto que as águas do Rio Macaé são ótimas para o rafting.

Nos mês de setembro a cidade hospeda um campeonato de canoagem.

 

Como chegar – MAPA

 

A Vida Noturna de Lumiar

Nada de badalação. Lumiar é o lugar perfeito para descansar e renovar as energias. Os restaurantes charmosos de Lumiar vão encantar você. O Bar do Vovô e a Cozinha do Parador são os mais famosos. A região do centro do distrito de Lumiar é bem animada nos finais de semana.

Aproveite as noites agradáveis ao som de boa música passeando pelas ruas que mostram a colonização suíça no lugar.

Vá até a praça da Igreja de São Sebastião para conhecer o melhor de Lumiar. Aproveite para apreciar o artesanato local e fazer algumas comprinhas.

 

As festas de Lumiar

Visitar Lumiar no período das festas tradicionais é muito melhor. Em janeiro você terá as Festas de São Sebastião. A Festa de São Pedro acontece em junho e no mês seguinte tem a Festa da Vila Mozer. Em 10 de outubro se comemora o aniversário da cidade e isso significa mais festas.

 

Hospedagem em Lumiar

Há algumas opções para se hospedar em Lumiar. Você encontra pequenos hotéis e pousadas. Se você for viajar para lá no período das festas tradicionais, é melhor fazer a sua reserva com bastante antecedência.

São Pedro da Serra

Bom no inverno

Na região serrana, a 170 km de distância da capital do estado, fica São Pedro da Serra, o sétimo distrito de Nova Friburgo.

São Pedro da Serra fica 850 metros acima do nível do mar e isso significa que seus verões são agradáveis e o seu inverno é intenso. O lema da cidade é “Toda a paz do universo”, o que já dá uma dica do que você encontrará por lá.

O turismo na região começou depois da década de 1970. O distrito de São Pedro da Serra ainda é pouco conhecido pelos cariocas. O lugar é uma vila muito encantadora. Conhecer São Pedro da Serra é como ir à Suíça sem precisar pegar um avião.

são pedro da serra

 

Clima bucólico e jeito de cidade do interior

Um passeio pelo centro de São Pedro da Serra traz singelas surpresas. Durante o dia e à noite, as lojinhas ficam abertas e você pode aproveitar para conhecer um pouco do artesanato da região. Visite a Chocoarte quem, além de loja, também funciona como confeitaria.

Não ache estranho o grande número de esculturas de cabras bem divertidas, elas têm uma razão. O Festival das Cabras, que acontece por lá, segue um estilo parecido com o Cowparade que já foi realizado em várias partes do mundo.

Na praça do coreto você vê o povo conversando e observando o vem e vai dos turistas que aparece nos finais de semana.

Nos restaurantes tem música ao vivo com muito forró e MPB até altas horas. A maioria deles se concentra na Rua Major Aguiar, no centro. São Pedro da Serra é bem parecido com o distrito vizinho de Lumiar.

 

Como chegar

 

Aproveite a natureza de São Pedro da Serra

O distrito de São Pedro da Serra faz parte da Reserva Florestal de Macaé de Cima, onde fica a nascente do Rio Macaé. É uma área de Mata Atlântica muito bem preservada e belíssima onde você pode se aventurar.

Por lá você pode fazer caminhadas nas montanhas e nos vales em divertidos passeios ecológicos feitos de jipe. Em São Pedro da Serra você desfruta de revigorantes banhos de rio ou das desafiantes corredeiras do Rio Macaé.

São maravilhosas as trilhas de São Pedro da Serra. E você pode percorrer todas de jipe, de moto, de bicicleta ou mesmo a pé para explorar toda a extensão de natureza a sua disposição. Em São Pedro da Serra você tem locais perfeitos para a prática de esportes como a canoagem, o mountain biking e o trekking.

Visite o Poço Feio, que de feio não tem nada. Lá tem uma pequena praia com 40 metros de extensão e uma pedra usada como escorrega. As águas do Poço Feio são bem tranquilas e límpidas. O Poço Verde leva esse nome por causa da coloração da sua água que fica esverdeada ao refletir a mata do entorno. Um lugar paradisíaco com árvores centenárias.

 

Hospedagem em São Pedro da Serra

Opção é o que não falta por aqui. Há mais de 20 pousadas no distrito de São Pedro da Serra pra todos os gostos e bolsos. A maioria delas fica no centro do distrito, mas não deixam de ter muito verde ao redor.